O Banco Finantia conseguiu alcançar ao longo do ano de 2016 os objetivos a que se propôs: aumentou a rentabilidade, reforçando a solidez financeira em simultâneo. Assim, para o Banco Finantia o ano de 2016 foi um ano marcado pelo crescimento e pela estabilidade financeira.

Um dos bancos mais sólidos da Europa

Se em 2015 o Banco Finantia tinha conseguido registar uma subida ao nível da solidez financeira, 2016 não foi exceção: o rácio de capital (CET1) aumentou de 22,3% para 23,6%, sendo um dos mais elevados do setor bancário na Europa. O que quer isto dizer? Que o Finantia é um grupo financeiro marcado pelo crescimento continuado e sobretudo pela segurança – note que quanto mais alto for este rácio mais sólida é a entidade em questão.

Para chegar a estes resultados, o Banco Finantia manteve-se focado na internacionalização, nomeadamente ao nível da Península Ibérica, América Latina e Comunidades de Estados Independentes. E não nos podemos esquecer que esteve envolvido em importantes transações do mercado português como a aquisição da Tertir pelo Grupo Yildirim, o maior investimento realizado por parte de uma empresa turca em Portugal.

Lucros acima dos 30 milhões de euros

O Banco Finantia registou lucros na ordem dos 30,7 milhões de euros, em 2016. Se compararmos este valor com os 27,6 milhões de euros registados no ano anterior, constatamos uma subida significativa de 11%. E há mais boas notícias: o produto bancário aumentou de 62,8 milhões de euros para 65,2 milhões de euros; os depósitos dos clientes aumentaram 9% (de €679,6 milhões para um total de €740,4 milhões) e os ativos totais situaram-se nos 1,8 mil milhões de euros, isto é, mais 2% que em 2015.

Todos estes fatores evidenciam um crescimento sustentado, em que a rentabilidade e a solidez financeira são dois alicerces fundamentais.

Para saber mais consulte por favor o comunicado de imprensa (PDF).