O Banco Finantia foi distinguido pela revista britânica The Banker como o sétimo banco mais eficiente da União Europeia, devido aos elevados rácios de eficiência que apresentou ao longo do ano de 2014. Este ranking organizado pela publicação de referência analisa os Top 250 bancos da UE em várias dimensões como solidez financeira, dimensão, força, rentabilidade, desempenho e eficiência.

Alicerces: eficiência e solidez

Em termos de eficiência a performance do Banco Finantia é assinalável. Por cada euro que investe na sua atividade, consegue gerar aproximadamente cinco euros de receita. Ou seja, em comparação com a média da banca portuguesa, o Banco Finantia é duas vezes mais eficiente, dado que a banca portuguesa por cada euro de custos gera cerca de 1,5 euros de receita,

Por outro lado, o bom desempenho do Banco Finantia também se evidencia ao nível da solidez financeira: os rácios que apresenta são superiores à média portuguesa e europeia. Aliás, o The Banker distingui-o como o 16º banco mais sólido da União Europeia.

Fundada em 1916, a revista britância The Banker [http://www.thebanker.com/] do grupo Financial Times, é a mais importante publicação ligada ao setor bancário e financeiro.

 O percurso do Banco Finantia

O sucesso de Banco Finantia também assentou na sua capacidade de adaptação e antecipação da evolução dos mercados nacionais e mundiais. Desde logo entendeu a importância da internacionalização e decidiu marcar presença em países como os Estados Unidos da América, Brasil, Reino Unido e Espanha. E nunca baixou os braços: apesar da situação de crise económica mundial, o Banco Finantia conseguiu manter resultados positivos e ter margem de manobra para apostar em novos segmentos de mercado.

A combinação de todos estes fatores valeu-lhe importantes distinções durante os anos de 2014 e 2015, tais como:

  • “Investment Bank of the Year Portugal 2014 ” -The International Banker
  • “Best Private Bank Portugal 2015” – The International Banker
  • “Fastest Growing Investment Bank Portugal 2015” – Global Banking & Finance Review