Se pudéssemos escolher duas palavras para definir o ano de 2016, seriam eficiência e solidez. A elevada performance ao nível destes dois indicadores levaram o Banco Finantia diretamente até ao topo do ranking “Top 250 Bancos da União Europeia” que é conduzido pela revista britânica financeira The Banker.

Pela terceira vez no topo 

Há três anos consecutivos que o Banco Finantia consegue posicionar-se nos primeiros 20 lugares deste ranking frente a outros 250 bancos que integram a União Europeia. Devido à sua forte solidez financeira o rácio de 21,17%, muito acima da média nacional e europeia, valeu-lhe o 12º lugar. Mais uma vez o Banco provou que conseguia superar ainda mais as expetativas no que diz respeito à eficiência. Foi-lhe concedida a 4ª posição ao apresentar um rácio na ordem dos 26,3%.

Analisando os dois últimos rankings (2015 e 2016), é possível verificar que a tendência está voltada para o crescimento. Em termos de eficiência o Banco Finantia conseguiu subir três posições, passando do 7º banco mais eficiente da União Europeia para o 4º lugar. No que toca a solidez financeira o Banco conseguiu passar do 16º lugar para o 12º. O que é isto significa? Que o Banco Finantia além de ser seguro financeiramente continua a melhorar a sua produtividade de ano para ano.

Mas quais foram os critérios que guiaram a publicação The Banker durante a realização deste ranking? Este estudo assenta em critérios objectivos, sendo utilizados vários indicadores: a solidez financeira (financial soundness), a dimensão (assets), a força (TIER 1), a rentabilidade (pre-tax profits), o desempenho (Profits on capital, Return on Assets, Ratio BIS Capital) e por último a eficiência (cost to income).

A revista The Banker foi fundada em 1916, a sua distribuição alcança mais de 180 países e é nos dias que correm uma das mais importantes publicações do setor bancário.