O Banco Finantia fecha o primeiro semestre de 2016 com lucros na ordem dos 14,4 milhões de euros. Com este valor, o Banco supera em 23% o seu desempenho face ao mesmo período de 2015, altura em que alcançou os 11,7 milhões de euros.

A par deste resultado, o Finantia conseguiu também reforçar a sua solidez financeira: o rácio Core Tier I posicionou-se nos 21,7% – mais 1,1% que o registado no ano passado – sendo um dos mais elevados do setor. É de notar que quanto mais alto for este rácio mais sólida financeiramente é a entidade em questão.

Já no fim de junho, os ativos totais situaram-se nos 1.830 milhões de euros e a situação líquida cifrava-se em 378,1 milhões. Convém ressalvar que nesta data o Banco Finantia não apresentava qualquer financiamento junto do Banco Central Europeu (215 milhões em 30 de Junho de 2015).

Mais clientes, mais uma filial

Os resultados financeiros alcançados fortaleceram o sentimento de segurança e de confiança entre o Banco Finantia e os seus clientes, o que se traduziu no aumento do número de depósitos: no total os depósitos atingiram os 693 milhões de euros, ou seja, uma subida de 9% relativamente ao período homólogo de 2015. Este fator confirma não só a tendência positiva dos últimos exercícios decorrente da estratégia de alargamento da base de clientes como representa o fortalecimento da presença da banca privada do Banco Finantia em Portugal e Espanha.

Por outro lado, o Banco Finantia expandiu as suas atividades internacionais a Malta (Finantia Malta) – o banco já marca uma forte presença internacional em países como Espanha (Banco Finantia Sofinloc), Reino Unido (Finantia UK), Estados Unidos (Finantia USA), Brasil (Finantia Brasil) – e continuou a alargar a sua atividade operacional a diversas áreas, mantendo o foco na Banca Privada, no Mercado de Capitais e na Banca de Investimento.