“Tempo de Pais” é uma das mais recentes iniciativas da Associação Portuguesa de Síndrome de Asperger (APSA): um projeto que junta pais que precisam de conversar, desabafar e informar-se sobre as perturbações do espetro do autismo.

Conversas informais de pais para pais

Lidar com o Asperger pode ser um grande desafio para doentes e famílias. O isolamento, as dificuldades comunicacionais, comportamentais e motoras são muitas vezes difíceis de compreender aos olhos de quem está do outro lado pela primeira vez. Piedade Monteiro e Maria de Castro sentiram-no na pele: são mães de jovens que foram diagnosticados com esta síndrome e sabem como é fácil perder o norte quando o devido acompanhamento e esclarecimento não chegam a tempo.

A pensar noutros pais em situação semelhante, decidiram abraçar o projecto “Tempo de Pais” e disponibilizaram-se para receber pais, amigos, familiares, professores bem como todas as outras pessoas que tenham questões sobre o Asperger. Estas conversas informais acontecem às segundas-feiras na Casa Grande da APSA, em Lisboa.

Para quem vive fora de Lisboa, também há solução: a APSA disponibilizou um espaço na sua página online onde serão publicadas as respostas destas duas mães às cartas de muitas famílias que as procuram.

O meu filho tem Asperger. E agora?

Piedade Monteiro, presidente da APSA há 13 anos, sabe que muitas das dúvidas em relação ao Asperger são partilhadas por grande parte das famílias que se vêm confrontadas com este diagnóstico. Por isso partilha alguns conselhos gerais que poderão ajudar os pais a lidar melhor com a doença:

  • Dê atenção ao desenvolvimento do seu filho. Se algo parecer errado não hesite em pedir ajuda;
  • Leve-o a uma consulta de desenvolvimento;
  • Aceite e acredite que este é um desafio com o qual você vai saber lidar;
  • Confie nos profissionais de saúde que diagnosticaram o seu filho;
  • Pergunte, questione, mas centre-se em tentar perceber o que se passa e qual a melhor forma de comunicar com ele;
  • Ouça os profissionais de saúde e os educadores, mantenha-se aberto e atento, pois a intervenção precoce é crucial no desenvolvimento futuro do seu filho;
  • Peça ajuda à família, aos amigos e não se isole: lembre-se que todos são importantes para a plena integração de uma pessoa com Asperger;
  • Partilhe as dificuldades, as alegrias e os planos de intervenção do seu filho com os que o rodeiam, para facilitar a tarefa de educar.

E lembre-se: para um aconselhamento mais personalizado ou simplesmente para partilhar a sua experiência com outras pessoas que estão a passar pela mesma situação, tem sempre o “Tempo de Pais” à sua disposição.